Interessante

The British Century (coletivo)


O século 19 é o "século britânico", quando a Grã-Bretanha estabelece seu império sobre grande parte do mundo. Seus meios são muito variados e não se limitam a pressões ou intervenções militares. Fala-se até de um "Império informal" fora do Império. Entender essa dominação britânica seria fundamental para entender a globalização atual, que seria apenas uma extensão dela. Porém, o trabalho coletivo, O século britânico, com base nas pesquisas mais recentes, vai contra essa ideia preconcebida.

O século 19, "o século britânico por excelência"

Em sua introdução, A. Enders insiste que o trabalho não está no "Revisionismo histórico" fazendo o Império Britânico do século 19 "A parteira do mundo moderno", com por exemplo a difusão de ideias liberais. Em contraste, a Inglaterra fez um ótimo trabalho na formação do século que dominou.

O que é original no livro é a diversidade de seus autores (incluindo sua nacionalidade) e seu campo de estudo, que vai além da Inglaterra e do próprio Império Britânico. A ambição é, assim, apresentar aspectos originais da historiografia do mundo britânico, em plena revitalização nos últimos anos, inclusive na França, como mostra a presença do tema “O mundo britânico, 1815-1931” nas competições. lecionando História (agregação e CAPES) nos últimos três anos.

Circulações imperiais

O primeiro tema do século britânico, "Circulações imperiais" ("Circulações" para ser entendido em sentido amplo), primeiro retorna aos debates historiográficos em torno da sociedade britânica e sua relação com o Império (artigo de F. Bensimon), debates muito animados na Grã-Bretanha. A historiadora britânica Catherine Hall aborda a história do comércio de escravos e da escravidão, um tema importante na historiografia do Império. Os outros dois artigos (de J.M. MacKenzie e V. Caru) enfocam os museus das colônias britânicas e as "coincidências" entre a gestão colonial da habitação social em Bombaim e os desenvolvimentos sobre o mesmo assunto na França metropolitana.

Controle do mundo

O próximo tema pergunta como os britânicos estão fazendo para controlar o mundo em seus melhores interesses. Isso requer intervenção de diferentes formas, inclusive em áreas onde não estão presentes em vigor, especialmente militarmente. O exemplo do condomínio anglo-egípcio no Sudão é, portanto, citado (artigo de A-C. De Gayffier-Bonneville), o da Arábia, a "Mancha branca" (D. Foliard) no mapa mundial britânico (estudado, por sua vez, por I. Avila). Finalmente, J-F. Klein explica o papel do ópio, "Uma arma imperial" o que permitiu à Grã-Bretanha exercer sua influência na Ásia, especialmente às custas da China.

Império fora do império

O último tema tratado é a principal originalidade do livro, já que deixa o "mundo britânico" para se concentrar no "Império informal". Este é, antes de mais, o caso das monarquias portuguesa e brasileira, "Sob proteção britânica", que é estudado por A. Enders. Em seguida, G. Verdo refuta a sabedoria convencional de que foi a Revolução Francesa que influenciou as revoluções de independência latino-americanas, antes de mostrar o "papel decisivo" da Inglaterra nesse processo. No final. Dupont explica a criação do best-seller de Samuel Miles, Autoajuda, e sua influência no reformismo árabe do século 19 e, portanto, a longo prazo no nacionalismo árabe e egípcio.

Aviso da História para todos

O trabalho coletivo O século britânico está na vanguarda da historiografia do mundo britânico e do Império no século XIX. Esta é a sua grande qualidade, mas também o seu limite. Na verdade, ele se destina principalmente a estudantes e pesquisadores que trabalham com esse assunto, e será essencial para eles. Por outro lado, um público mais amplo terá dificuldade em encontrar seu relato e terá que recorrer a obras ou livros didáticos mais gerais, especialmente aqueles lançados durante as competições (recomendamos o publicado por Atlande).

- F. Bensimon, A. Enders, O século britânico. Variações sobre a supremacia global no século 19, PUPS, 2012, 370 p.


Vídeo: Britain in the 20th Century: The Road to War - Professor Vernon Bogdanor (Setembro 2021).