Novo

The Choice of Destiny: entrevista com Pierre Bonnet, diretor


O rugido de um motor nas estradas de Bourbonnais, dentro dos homens da guarda do Marechal Pétain que transferem armas para os maquis. Um tiro é disparado, o motorista cai no volante, soldados alemães emergem do matagal ... Bem-vindo à filmagem de documentário « A escolha do destino »Dedicado ao Segunda Guerra Mundial e feito por Pierre Bonnet ! Após a filmagem das sequências na Alsácia, o encontramos em Auvergne para reconstruir as horas heróicas e dramáticas dos lutadores da resistência local. Ele concordou em discutir conosco este ousado projeto que reúne mais de 150 figurantes e 300 contatos associativos que trabalham juntos para um objetivo comum: garantir o dever da memória entre as gerações mais novas.

"Acabar agora com a imagem dos lutadores franceses fugindo do inimigo"

Pierre Bonnet olá, a equipe do HPT que você já conheceu no set do curta "La section perdue", onde atuou como gerente de produção e assistente de direção, é com prazer que o encontramos novamente como roteirista e diretor de um novo projeto: “The Choice of Destiny”. Este documentário é sobre a Segunda Guerra Mundial, pode apresentar-nos brevemente o cenário que escolheu para cobrir de forma contínua e estruturada os cinco anos que separam o desastre de 1940 da Libertação?

Pierre Bonnet: O documentário trata cronologicamente os acontecimentos de maio de 1940 a fevereiro de 1945, na jornada de homens que lutaram nas fileiras do exército francês ou na resistência.

A introdução evoca uma discussão entre um pai e seu filho sobre o contexto da invasão alemã. O jovem "Lavandiére", se questiona sobre o futuro do País e não entende porque seu herói, pai de Verdun, apóia tanto o Marechal Pétain. O desastre de 1940 deixou quase 120.000 mortos nas fileiras francesas. Devemos agora acabar com a imagem dos lutadores franceses fugindo do inimigo. Por isso, quis abordar esse tema com uma reconstrução em um forte da Linha Maginot, para mostrar uma imagem digna de nossos anciãos durante essas seis semanas de luta.

Começa a invasão, a votação dos plenos poderes e a instalação do governo de Pétain, várias testemunhas irão contribuir para este documentário. A criação de redes de resistência no Allier, particularmente em St-Germain des Fossés, foi iniciada pelo Capitão Privat, um ex-oficial da Força Aérea. Vamos reviver a criação do grupo.

Depois veio a repressão, as exações, a deportação e os massacres de todos os tipos. Testemunhos fortes nos permitem sentir as condições do momento.

Finalmente, os jovens franceses se levantaram, os chefes dos acampamentos de jovens Allier irão matricular os jovens para irem para Langon em Gironde, então sua integração no 9º DIC seguirá. A mudança dos regimentos africanos está assegurada, as batalhas da alça Doubs e Alta Alsácia serão reconstituídas e muitos ex-integrantes do 2º Batalhão da 6ª RIC nos contarão suas viagens, até as batalhas do bolsão de Colmar .

"Muitas e longas pesquisas"

Um tratamento bastante amplo do assunto, portanto, baseado nos eventos que aconteceram na Alsácia para a invasão e a Libertação, e em Bourbonnais para a resistência. Mas exatamente como você reconstruiu eventos passados? Suponho que haja por trás desse cenário um longo trabalho de pesquisa bibliográfica, mas também um recurso à narrativa oral dos sobreviventes como você diz para os Anciãos da 6ª RIC? É o suficiente para chegar perto da verdade ou você é forçado a romantizar?

Pierre Bonnet: Os acontecimentos do passado foram objeto de muita e longa pesquisa, tanto com testemunhos (mais de 20 horas de gravação), como também leituras históricas locais, registros de marchas regimentais. Mas também com os serviços do ONAC de Allier (nota do editor: Office National des Anciens Combattants), as sociedades de história de Kingersheim e Kembs (68), bem como coleções particulares.

Com a coleta desses elementos, fui capaz de reconstruir esses momentos com a maior precisão possível. A falta de áreas de sombra permanece. Porém, como não estivemos presentes nesses momentos, uma parte da ficção vem naturalmente para complementar o cenário.

“Manter a memória e passá-la para as gerações mais novas”

Na verdade, encontramos aqui todas as ferramentas de pesquisa histórica para a história recente. A tua documentação ficará, portanto, repleta de testemunhos, as cenas às vezes são filmadas no próprio lugar dos acontecimentos: sente-se um forte desejo de guardar uma memória para perpetuar a sua transmissão. Parece-me suficientemente comprometido com a Souvenir Français? Pode falar-nos deste compromisso e do valor que atribui ao “dever de memória”?

Pierre Bonnet: Meu compromisso com a Souvenir Français pode ser resumido da seguinte forma:

Por vários séculos, nosso país passou por uma série de conflitos. O mais recente data de 70 anos. Que família não foi tocada pelos conflitos contemporâneos! Os monumentos aos Mortos nos lembram disso. Apesar de tudo isso, acho que as pessoas esquecem rapidamente Muito rapidamente! Certamente, para os jovens de hoje, a Segunda Guerra Mundial não é mais palpável do que a Guerra dos Cem Anos, o que se explica, por um lado, pelo desaparecimento cada vez mais rápido de testemunhas, e por outro. parte pela carência de programas escolares, que na minha opinião evocam esses períodos muito rapidamente. Manter a memória e transmiti-la às gerações mais jovens tornou-se, portanto, uma luta diária.

Desde 2005, venho trabalhando no Souvenir Français, através de intervenções em parceria com testemunhas da Segunda Guerra Mundial com crianças em idade escolar, mas também animamos através de exposições, projeções de filmes ou viagens escolares de memória.

Obviamente, a participação em cerimônias comemorativas continua sendo uma atividade importante de nossa associação.

Esse espírito foi incutido em mim por muitos anos no círculo familiar e, desde então, sempre fui muito apegado a ele. Principalmente porque meu avô paterno é um ex-veterano do Primeiro Exército francês e lutou em Doubs, na Alsácia, no final de 1944, onde também foi ferido.

Portanto, agora cabe a nós perpetuar a memória e prestar homenagem a esses lutadores, sejam eles Mortos pela França ou mesmo deste mundo.

"As associações mais importantes de encenadores franceses e alemães"

Você, portanto, fornece uma plataforma para veteranos e reativa a memória dos mortos, chegando ao ponto de ter alguns deles interpretados por seus atores. Além disso, só podemos ficar impressionados com a qualidade e a quantidade de material de que dispomos para este tiro: uniformes, armamentos diversos e variados, equipamentos dos exércitos francês e alemão, mas também muitos veículos em funcionamento, Willis jipes, esquivas, caminhões, Half-track e até o tanque Sherman e artilharia! Você finalmente tem enormes recursos técnicos, você parece se sair melhor do que algumas produções de televisão sem ter tantos recursos financeiros quanto eles: qual é o seu segredo? É precisamente a força do seu empenho no dever de memória que lhe permitiu mobilizar as associações e os diversos fundos necessários à sua causa? Você encontrou um bom eco junto ao poder público e aos reencenadores?

Pierre Bonnet: Na verdade, o volume e a qualidade dos atores, materiais e veículos são consideráveis. Trata-se de verdadeiros profissionais de reconstrução! É também garantia de credibilidade para todos.

Este projeto permitiu federar as associações mais importantes de reconstituintes franceses e alemães. Esteja perto de 150 extras !!! Devo dizer que o compromisso deles com o nosso projeto é impecável e que graças à sua ajuda e apoio pudemos fazer um documentário de qualidade.

Os meios financeiros da nossa associação são muito modestos, uma produção deste tipo custaria várias centenas de milhares de euros. Acredito que o compromisso de todos com este projeto é acima de tudo uma verdadeira aventura humana sem paralelo, são quase 300 associativos, institucionais, contatos com a mídia, proprietários e esqueci alguns. Em suma, um desafio vencido, que ficará gravado por muito tempo.

O aspecto financeiro ainda não é neutro, mas como você especificou, acredito que a força do compromisso terá sido uma verdadeira alavanca. Chegar às instituições não é fácil hoje em dia. Tenho a sorte de conhecer muitos funcionários eleitos e comunidades na bacia de Vichyssois, então quase todos os apoiaram desde o início do projeto. Admito ter recebido uma boa recepção, pois poderíamos ter recusado a sua ajuda. Não é necessariamente importante ficar mais de uma hora no gabinete de um prefeito para convencê-lo! Para alguns eu não gastei mais de 10 minutos e o acordo de princípio foi dado. Onde eu diria, fiquei mais tempo na entrevista, a resposta foi "nós o mantemos informado ..." Vou deixar você imaginar o próximo passo lógico! No final, a recepção dos pequenos Municípios terá sido mais calorosa. Ao contrário de comunidades muito grandes! Quanto à Alsácia, existe outra dimensão, creio que não tive de fazer pedidos oficiais, as instituições não se contactaram! O mundo da luta também o terá apoiado, mas aqui devo dizer que foi muito mais difícil principalmente no meu departamento !!!

"Sempre em busca de patrocinadores e mecenas"

Uma grande aventura ao todo. Agora as filmagens estão chegando ao fim, mas talvez você ainda precise de patrocinadores, “patrocinadores”, apoio, para o resto do projeto? Estou a pensar sobretudo na promoção e divulgação do resultado final.

Pierre Bonnet: O nosso orçamento é relativamente apertado, tudo vai descer a algumas dezenas de euros na parte final, claro que estamos sempre à procura de patrocinadores e mecenas para finalizar o projecto.

A promoção será um ponto importante, devemos exibir uma bela janela, e a melhor renderização possível, a fim de distribuir o livro o máximo possível.

“1000 DVDs serão colocados à venda a partir do 2º semestre de 2013”

Talvez alguns dos nossos leitores reajam a este apelo ... Você fala de radiodifusão, como vê o futuro desta docu-ficção? Projeções? DVDs?

Pierre Bonnet: Em relação às transmissões, planejo várias apresentações preliminares na Alsácia, Allier e Gironde a partir do 2º semestre de 2013.

Serão feitas projeções em benefício de associações de veteranos, escolas e, claro, dos municípios que sediaram o tiroteio.

Inicialmente, serão colocados à venda 1000 DVDs a partir do 2º semestre de 2013. Em seguida, serão abordados os canais temáticos e locais. Em seguida, o filme será apresentado em vários festivais de documentário.

Esperamos que os canais de TV se interessem, esse é todo o mal que desejamos a você. Como devem proceder as pessoas que desejam adquirir um DVD ou os patrocinadores que desejam contribuir com o seu projeto?

Pierre Bonnet: Simplesmente entrando em contato comigo por e-mail ou tel 04.70.58.04.49, sem assinaturas de DVD, reservas a partir de janeiro de 2013 por e-mail no mesmo endereço (Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você precisa habilitar o JavaScript para visualizá-lo.) e pagamento no lançamento do DVD (inclui custos de envio, sem preço final definido até a data).

Para clientes, meu contato de e-mail.

Bom, Pierre Bonnet, obrigado, vamos convidar nossos leitores a acompanharem seu projeto na página do Facebook dedicada a ele. Esperamos poder comparecer às projeções em breve, entretanto trago todo o apoio da equipe HPT, que agradece sua iniciativa. Boa sorte para você e nos vemos em breve.

Encontre mais fotos e todas as novidades deste documentário na página dedicada do Facebook!

Descubra também o site de produção: Ladeprod.


Vídeo: Règlement de contes: chercher la source, la transcendance (Outubro 2021).