Interessante

Poderes, Igreja e Santidade (M. Kaplan)


A história do Império Bizantino é pouco conhecida do público em geral na França, mas é rica e fascinante. Entre eles, Michel Kaplan, que republicou em Publications de la Sorbonne vinte e sete artigos de 1990 a 2010 dedicados à Igreja e à santidade no Império Bizantino, sob o título Poderes, Igreja e santidade. Ensaios sobre a sociedade bizantina. A oportunidade de apresentar a obra deste grande historiador.


Michel Kaplan, especialista em história bizantina

Professor de história medieval desde 1988 no Paris I Panthéon-Sorbonne, onde passou a maior parte de sua carreira, Michel Kaplan também foi reitor desta universidade de 1999 a 2004. Sua tese de Estado foi intitulada Homens e Terra em Bizâncio do VIe para XIe século: propriedade e uso da terra. É autor de vários livros de referência, alguns dos quais "populares", como Todo o ouro de Bizâncio (Découvertes Gallimard, regularmente republicado), e livros didáticos para o ensino superior ou concursos (CAPES, agregação). Seu primeiro mestre em História Bizantina foi Paul Lemerle (1903-1989), um dos maiores bizantinistas franceses, depois trabalhou com Hélène Ahrweiler, outro grande nome de Paris I. Presidente do CFEB (Comitê Francês de Estudos Bizantinos) , Michel Kaplan é especialista em história econômica, mentalidades e comportamento social em Bizâncio.

O livro Poderes, Igreja e santidade. Ensaios sobre a sociedade bizantina

Temos aqui uma coleção de artigos publicados entre 1990 e 2010 que, segundo seu autor, "Representa a essência do [seu] trabalho científico relacionado com a história da Igreja, os mosteiros bizantinos e o fenômeno da santidade".

Neste volume, Michel Kaplan explica a lógica que lhe permitiu estudar a santidade bizantina sem ser um historiador da religião. Por meio do estudo da sociedade, ele foi capaz de abordar fontes hagiográficas como Vidas de santos, então a questão dos mosteiros bizantinos, cuja importância era tanto religiosa quanto econômica. Esta ligação entre santidade, política e social também pode ser vista no fato de que até o século XIII “Santo é aquele cuja santidade é reconhecida tanto pelas autoridades como pelo povo cristão empenhado nesta direção pelos elevados fatos espirituais de caráter divulgados pela hagiografia”. De outros "Grande fenômeno social", o culto às relíquias das quais se procuram obter milagres, com um fenômeno de peregrinações, geralmente locais. Michel Kaplan também estuda nestes artigos a ligação entre santos, santidade e espaço, concluindo que "O espaço sagrado [...] depende antes de tudo do tipo de ascetismo", sendo a organização deste espaço mais devida ao hagiógrafo do que ao santo, sendo a relíquia o que atrai os peregrinos. Isso existe uma "institucionalização da santidade" com o desejo da hierarquia eclesiástica e imperial de exercer autoridade sobre os monges e, inversamente, estes últimos contando com os mosteiros que se tornaram “Um verdadeiro poder econômico e social”. No entanto, é o clero que, de acordo com o historiador, há muito controla os espaços sagrados.

Com base nos textos e nos temas de sua introdução, Michel Kaplan constrói seu acervo de vinte e sete textos em seis partes. Em primeiro lugar, dois artigos sob o tema "Roma e Constantinopla", focados no cisma de 1054. As três partes seguintes são dedicadas ao estudo da santidade bizantina, incluindo sua relação com a hierarquia e o poder, e com o 'espaço. O quinto capítulo enfoca as peregrinações (sempre em conexão com os santos). Por fim, o último tema trata dos mosteiros e sua importância econômica e social.

Nossa opinião

Revisão do trabalho recente de um especialista essencial na história bizantina, Poderes, Igreja e santidade. Ensaios sobre a sociedade bizantina é obviamente essencial para qualquer amante de Bizâncio. Qualquer pessoa interessada na história religiosa (e ligações com o poder e a sociedade) da Idade Média também pode achar útil fazer comparações com um Ocidente latino, muitas vezes muito diferente. Por outro lado, o livro, muito erudito, não pode ser recomendado para um público mais casual ou apenas curioso sobre esses assuntos. Para isso, vamos nos referir a outros livros de Michel Kaplan, como Todo o ouro de Bizâncio, ou a série New Clio, cujo volume III acaba de ser lançado.

- Sr. Kaplan, Poderes, Igreja e santidade. Ensaios sobre a sociedade bizantina, Publicações da Sorbonne, 2011, 643 p.


Vídeo: Tem Jeito: O que a Igreja pensa sobre Acupuntura? (Outubro 2021).