Novo

Primeira Guerra Mundial em desenhos animados (Sr. Bryant)


Embora existam muitas obras baseadas na iconografia para recontar períodos como a Idade Média ou o Renascimento, este é menos o caso para o Primeira Guerra Mundial, com exceção de fotos de arquivo. Este é o principal ponto forte do livro de Mark Bryant, mas ainda mais porque ele optou por se concentrar em caricaturas, uma visão original, surpreendente, mas muitas vezes relevante dos acontecimentos, que também é abordada de uma infinidade de pontos de vista.


Uma idade de ouro da caricatura?

Em sua introdução, Mark Bryant lembra a importância da caricatura em uma época em que obviamente a Internet e a televisão não existiam e quando o rádio estava apenas em sua infância (as primeiras transmissões datam apenas da década de 1920). Embora o desenho satírico já exista há muito tempo, ele se desenvolveu principalmente no século 18, e mais ainda no século 19 em jornais e revistas em expansão.

O início do século 20 pode, portanto, ser facilmente considerado como a Idade de Ouro da caricatura, e a Primeira Guerra Mundial como o teatro "ideal" para abordar todos os aspectos, satíricos e propagandistas.

Uma obra completa e variada

Um dos pontos fortes de Primeira Guerra Mundial em desenhos animados é a grande diversidade de origens dos desenhos animados apresentados. Mark Bryant usou assim cerca de 500 desenhos (a cores ou preto e branco) de designers de ambos os campos, francês e alemão, mas também britânico ou russo, ou mesmo polaco, americano e mesmo australiano (a capa do livro) e argentinos!

Esses desenhos são retirados das principais revistas especializadas da época, mas também de jornais, livros e pôsteres. Muitos são "esquecidos" que podem até ser descritos como inéditos.

Linha do tempo e contexto

O autor / compilador faz a escolha lógica da apresentação cronológica (apesar de algumas "lacunas" não muito prejudiciais), com a boa ideia de começar antes da guerra (voltando mesmo para depois de 1870) e terminar um pouco depois.

No entanto, uma das melhores idéias é não apenas apresentar os cartuns e seus autores (quando possível), mas colocá-los no contexto. Mark Bryant faz isso primeiro com uma página inicial louvável para cada ano (ou pré-guerra), onde descreve o contexto estrito da guerra, classificando os desenhos por tema e apresentando cada um no estrutura desses temas. Os desenhos animados não são mais apenas imagens de olhar, mas uma forma real de contar a história da guerra, e muitos de seus diferentes aspectos, e assim acompanhar a evolução das mentalidades e visões sobre o conflito por parte dos contemporâneos.

Uma boa ideia

O livro de Mark Bryant é, portanto, uma boa ideia, na mistura de uma forma original e agradável (o grande formato obviamente homenageia os desenhos em sua maioria bem reproduzidos), e um fundo bem pensado que contextualiza forma muito clara e útil os trabalhos apresentados. Os últimos são, para muitos, de boa qualidade, muitas vezes engraçados e afiados, surpreendentes e, para alguns, até "proféticos".

A Primeira Guerra Mundial em desenhos animados é, portanto, aconselhável tanto para os amantes das caricaturas (e de sua história) quanto para aqueles deste conflito, que desejam abordá-lo de um ângulo decididamente original. Devemos mesmo insistir no seu preço (25 euros), raro neste tipo de obra para se notar ...

Sobre o autor: Mark Bryant, Fellow of History, é um acadêmico inglês especializado em caricatura. Foi jurado do festival de Angoulême. Ele também é um autor, na mesma coleção de Napoleão em caricaturas e A Segunda Guerra Mundial em caricaturas.

- Sr. Bryant, A Primeira Guerra Mundial em desenhos animados, Hugo & Cie, 2010, 160 p.


Vídeo: Battlefield 1 - Os Segredos da Primeira Guerra Episódio 2 - Medo (Setembro 2021).