Em formação

Segredos subterrâneos no Templo de Sinca Veche


As colinas arborizadas e as montanhas escarpadas da Romênia oferecem aos turistas arqueológicos e sobrenaturais uma grande variedade de impressionantes igrejas góticas e mosteiros medievais. Um local romeno que serve como marco nacional está escondido nas colinas arborizadas acima da vila de Sinca Veche, perto de Persani, e suas origens são tão misteriosas que sombreia até o castelo do Drácula. Este centro de atividade sobrenatural é mais frequentemente chamado de "Templo de Sinca Veche".

A Terra de Fagaras, localizada no sul da Transilvânia, é uma paisagem desgastada pelo tempo, assombrada por fantasmas de monges medievais, padres e reis regionais que antes percorriam os caminhos florestais infestados de lobos que uniam a tapeçaria dos Cárpatos de mosteiros ortodoxos que antes controlavam a Transilvânia rural. Abaixo do mundo da superfície banhado pelo sol, há um lugar escondido nessas montanhas como em nenhum outro lugar do planeta Terra, conhecido localmente como Templo dos Desejos, Templo do Destino, Mosteiro da Rocha e Templo dos Alienígenas.

Interior do Templo de Sinca Veche, na Romênia. (Misiulica / CC BY-SA 3.0 )

Um templo de sonhos distintamente não cristão

As origens antigas deste templo subterrâneo, ou labirinto religioso, composto por cinco quartos, ainda hoje confunde a comunidade arqueológica romena. Enquanto alguns atribuem a ela origens Dacian (período romano), outros acreditam que esta câmara secreta tem cerca de 7.000 anos.

Duas salas formam santuários primitivos (capelas) e suas paredes foram esculpidas com diferentes símbolos esotéricos, incluindo uma Estrela de Davi de seis pontas com o Yin-Yang chinês localizado em seu centro hexagonal.

Textos bizarros esculpidos em um estilo desconhecido aparecem em todas as paredes e em um dos santuários um retrato parece a muitos visitantes modernos como semelhante a Jesus. No entanto, este lugar é como nenhuma outra igreja cristã já construída. De acordo com muitos visitantes, este espaço é o lar de uma energia totalmente ímpia, à qual retornaremos mais adiante neste artigo.

O espaço sagrado é iluminado por uma série de janelas baixas e claraboias altas. Um artigo sobre Atlas Obscura destaca que muitos habitantes locais acreditam que o templo da caverna está conectado a um castelo próximo por meio de um túnel perdido.

Registros de 1700 dizem que o templo da caverna foi usado como local de descanso por monges da Transilvânia que foram "perseguidos para se converter ao catolicismo". Não obstante, enquanto uma estrela de Davi gigante está presente, o espaço está vazio de qualquer outra cruz cristã, o que sugere que o símbolo pode ter sido esculpido por alguém que percebeu a forma em sua interpretação do “Selo de Salomão”. O Selo de Salomão era um símbolo muito presente nas artes alquímicas medievais, bem como nos feitiços e encantamentos de grimórios e, como tal, a forma foi adotada por mágicos cerimoniais modernos, New Age e espiritualistas.

No interior do chamado Templo dos Desejos, o Templo de Sinca Veche continua a confundir a comunidade arqueológica romena. (Deixou: David / Adobe Stock. Direita: Misiulica / CC BY-SA 3.0 )

Procurando as origens misteriosas do fabricante de desejos romeno

Um artigo sobre Viajante maldito diz que o templo da caverna foi mencionado pela primeira vez no início do século 13. Outros, no entanto, contestam que o mosteiro foi realmente criado como um templo dedicado a Zalmoxis, o Deus dos povos Dácias. Isso é apoiado pela descoberta de moedas e cerâmicas romanas em seis casas Dacic e treze covas, com uma das moedas da época de Tibério César Augusto, o segundo imperador romano que reinou de 14 a 37 DC.

Os arqueólogos suspeitam que uma fortificação romana foi localizada perto do templo que ainda não foi encontrado. Os habitantes locais também acreditam que as colinas escondem a tumba perdida e os tesouros de um general romano e, embora o templo possa ter sido usado na época dos romanos, muitos arqueólogos acreditam que ele foi criado 5.000 anos antes.

Os registros históricos neste site são escassos, mas CrestinortodoxA lista de monumentos históricos do local registra o local como um “mosteiro caverna (ruínas) na vila de Sinca Veche, comuna de șinca, endereço: Monte Pleșu, datando do século XVIII”. No entanto, o sacerdote e historiador romeno Stefan Metes (1887–1977), membro da Academia Romena, pesquisou a história das tradições religiosas e espirituais na Transilvânia e observou que em 1204 DC o Papa Inocêncio III escreveu sobre os “mosteiros ortodoxos da Romênia, simples e miserável, mas ainda bem conhecido naquela época. ” E a partir do século 18, uma entrada sobre Muntii-Fagaras diz que a igreja da caverna em Sinca Veche era chamada de "Templo dos Escolhidos", "Mosteiro de Pedra Cavada", um lugar de silêncio "e realização de bons desejos".

Um local sagrado impregnado de boas vibrações (homem)

Embora os construtores originais deste antigo templo nunca possam ser determinados, os poucos registros do local que existem dizem que ele foi tradicionalmente usado como uma ferramenta espiritual para ajudar no "cumprimento de bons desejos". Isso nos apresenta uma ponte que devemos cruzar: um limiar que nos leva do mundo empírico para os arquivos X da história, onde a ciência se mistura com o subjetivo.

Fazendo a travessia, não há como escapar do fato de que, ao longo dos anos, centenas de ocorrências estranhas foram relatadas neste local religioso rústico. Enquanto muitos descrevem o quadro usual de ocorrências sobrenaturais, como vozes de choro, orbes peculiares em fotografias e doenças curadas (vento, umidade e exercícios), a ocorrência supostamente sobrenatural mais repetida é que o local torna os sonhos realidade. Essa afirmação fez com que o Templo de Sinca Veche se tornasse conhecido como o "Templo dos Desejos", uma reviravolta moderna no registro histórico que o descreve como útil no "cumprimento de bons desejos".

  • Uma espiada na atividade paranormal nos castelos assombrados na Romênia
  • Confrontando os mortos do mal: crenças antigas aterrorizantes ainda vivas na Romênia dos dias de hoje
  • Mitologia na Romênia: explorando crenças sobre a feitiçaria e o diabo

Se você fosse pesquisar no Google “Sinca Veche Temple Cave”, você verá centenas de páginas e blogs de turistas falando sobre energias “especiais” ou “positivas”, que muitos acreditam agitar o universo de tal forma que pode realizar todos os seus desejos Esta tradição também é evidente nos milhares de desejos escritos deixados no site todos os anos.

A grande maioria das pessoas que visitam este site na Romênia e passam a discuti-lo na internet afirma ter experimentado essas boas vibrações. De acordo com Viajante maldito artigo, "nada cresce na colina circundante porque há algum tipo de radiações." Hoje, a caverna está tão fortemente associada às correntes telúricas esotéricas que os adeptos da Nova Era costumam trazer seus itens mágicos (varinhas, chapéus e amuletos) para “carregá-los” com essa energia percebida.


O Templo do Destino

Normalmente, você pode classificar as atrações de viagem de acordo com os viajantes que as visitam. Alguns preferem igrejas por causa de sua religião ou sua paixão por imponente arquitetura ou história. Outros desfrutam dos spas com todo o conforto e mimos que os rodeia. Os viajantes mais jovens escolherão na maioria das vezes as montanhas e a aventura. E assim por diante.

Tentamos classificar Sinca Veche de acordo com isso, mas sem sorte. Porque? Porque o lugar atrai ao mesmo tempo pessoas céticas e religiosas, aventureiras mas também amantes do conforto. A maioria das pessoas que ouvirem sobre este lugar o visitarão mais cedo ou mais tarde. Existem muitas lendas e histórias antigas que o cercam. Se eles são verdadeiros ou não, não é nosso trabalho decidir. Nosso trabalho é contar a você uma história muito mais recente & # 8230

Nossa história é sobre uma pequena caverna no Monte Plesul, perto do Sinca Veche vila, chamada pelos habitantes locais - O Templo do Destino. Você o encontrará no final de uma estrada empoeirada que sai do povoado, passando pela floresta e passando por uma grande cruz de concreto, que mostra de certa forma o cristianismo do lugar.

Uma das coisas que impressionam quando você chega à entrada é como é incrivelmente limpo ao seu redor. Você não verá os vestígios típicos da (des) civilização na forma de embalagens do McDonald's ou garrafas vazias e, embora esteja no meio da floresta, não verá uma folha caída no chão perto da pequena caverna .

O segredo? É simples. Por quase nove anos, alguém dedicou sua vida a este lugar. Ele é provavelmente o homem mais pobre de Sinca Veche mas apesar das rugas que o tempo tinha deixado em seu rosto, ele te cumprimenta com o sorriso mais caloroso que você já viu. Ele não é exatamente o tipo de guia comum, como veremos mais adiante.

Não há taxa de entrada. Você pode deixar algum dinheiro em um cobertor, o quanto quiser, e pegar algumas velas que serão muito úteis lá dentro.

Assim que você entra na caverna, é impossível não ver uma torre em forma de espiral que permite que a luz do sol entre no templo, criando uma ligação entre o céu e o subsolo. E então você anda mais longe. Você passa lentamente pela segunda sala, guiado pelas luzes das velas que verá à sua frente. Finalmente, você chega à terceira sala e a maior de todas.

Você para e olha em volta. Provavelmente, uma estranha sensação de silêncio interior tentará conquistá-lo. Então você toca as paredes marrons e percebe que elas são feitas de argila. Argila petrificada, para ser mais específico. Como na terra um lugar tão frágil poderia durar tanto tempo?

Você dá mais um passo e nota dois arranhões brilhando na luz das velas. O primeiro deles é cercado por diversos ícones e pequenas cruzes trazidas pelos cariocas. Você espera que seja outra cruz ou pelo menos um símbolo cristão. Surpreendentemente, o que está lá não tem nada a ver com o Cristianismo. Você ficará surpreso ao ver o Ying Chinês e o símbolo Yang, rodeado pela estrela de David com seis pontas. É o único lugar no mundo onde você vai encontrar isso juntos. O símbolo de duas peças é delimitado à esquerda e à direita por dois pequenos retângulos. Não tínhamos descoberto o que eles significam. Talvez você vá.

Então você notará outro arranhão à sua esquerda, desta vez um pouco maior. Assemelha-se bastante a uma figura humana. Ao tocá-lo com a luz de uma vela, notamos algumas gotas d'água. Estranhamente, as paredes estavam cheias de arranhões e buracos, mas este era o único que estava úmido.

Fomos atrás do guardião deste lugar e perguntamos sobre isso. Ele respondeu com um sorriso:

A única resposta lógica que vem à sua mente é que isso acontece por causa da água freática subterrânea. Mas por que o resto dos arranhões secou?

… E você alcança a quarta câmara, separada da segunda por algum tipo de janela, talvez com meio metro de largura. Aqui encontramos outro arranhão, outro símbolo não identificado, ainda molhado. E, claro, tudo ao seu redor secou.

Continuamos a estudar este lugar bizarro. Há cruzes e ícones por toda parte, sinais do povo cristão que vagava por ali. Mas, apesar disso, este não era um site cristão.
É impressionante ver que as pessoas ainda acreditam em algo, mesmo que esse "algo" de alguma forma não esteja incluído nos padrões da Igreja.

Nos buraquinhos das paredes vão ver muitas pulseiras, pequenas cruzes, lenços e notas deixadas pelos visitantes. Nosso companheiro nos diz que as pessoas acham que deixar as coisas ali lhes trará boa sorte. E então, adivinhando nossas perguntas, ele começa seu trabalho como guia do templo. Até agora, ele nos deixou em paz, porque "é bom estar sozinho aí, para que você & # 8217 tenha a oportunidade de ver o interior da sua alma" Ele começa a nos contar a história do templo. Há cerca de setecentos anos, a Imperatriz Maria Tereza ordenou que as quatro igrejas de Sinca Veche deve ser destruído. E assim foram, junto com os monges que os construíram. Ele está convencido de que este lugar é muito mais antigo do que isso e os monges o construíram sobre alguns vestígios antigos.

Em seguida, ele nos conta como as pessoas vêm aqui todos os anos e são curadas de doenças do corpo ou da alma. Ele não quer nos contar muito sobre isso. “É melhor guardar algumas coisas para você”, diz ele.

E continua falando do templo, com um tom um tanto paternal. Ele faz uma pausa e acende um cigarro. Perguntamos a ele sobre a rachadura na parede entre o primeiro e o segundo cômodo. Seus olhos azuis, infantis, brilham quando ele vê que estamos interessados ​​nisso. Ele nos diz que quando você orar, se sua alma estiver aberta, Deus enviará um raio de luz sobre você e sobre o altar. A luz passará lentamente pelos dois pequenos orifícios nas paredes que separam os quartos e, no final, fará com que os dois símbolos mágicos brilhem no escuro.

Chegamos lá por volta das 13h. Capturados pela conversa e pela magia do lugar, não tínhamos percebido as três horas que se passaram. Voltamos ao templo um pouco mais tarde e vimos que o altar estava ficando cada vez mais claro devido à posição do sol. Talvez fosse mais sobre o humor do sol e nossa sorte do que sobre fé e orações. Ficamos parados por alguns momentos e observamos o raio de luz guiando seu caminho lentamente em direção à última parede. No final do show, o único lugar brilhante no templo era a Estrela de Davi com o símbolo Yin-Yang no meio.

Voltamos à superfície e continuamos a conversa com nosso guia. Aparentemente, este lugar permaneceu deserto, pois os monges foram mortos e visitados de vez em quando apenas por habitantes locais curiosos. Um deles, impressionado com as visões que teve no templo, fundou uma organização - Gheorghe Sincai & # 8211 pretendia reabilitar este lugar e construir um mosteiro no topo da colina. Infelizmente, ele morreu nos Estados Unidos há vários anos, antes de ver seu sonho realizado.

Dissemos ao nosso guia que estávamos prestes a escrever um artigo sobre o assunto e pedimos sua opinião sobre como divulgar este lugar. Ele respondeu que ficaria feliz em ver mais pessoas por ali, porque o templo só trará coisas boas para suas vidas. Talvez então as autoridades se interessassem mais e passassem a investir na sua preservação.
Mas, disse ele, não quer ver muitas coisas mudadas por lá. Talvez um ou dois, mas a essência deste lugar deve ser mantida intacta.

Enquanto empacotamos nossas coisas, olhamos para o homem que nos fez companhia por mais de quatro horas. Talvez, em sua simplicidade, ele tivesse o poder de entender muitas coisas que são inacessíveis para a maioria de nós. Ou talvez ele fosse apenas tendencioso. Quem não ficaria, depois de passar nove anos naquele lugar.

Não escrevemos esta história como uma tentativa de desvendar os mistérios de Sinca Veche e seu Templo do Destino. Nem para afirmar ou negar a credibilidade da magia nele. Talvez tenha sido construído há milhares de anos. Ou talvez alguns habitantes locais pregaram uma peça em alguém e arranharam os próprios símbolos. O tempo dirá a verdade. Para nós, porém, era um lugar especial, mágico ou não. Enquanto escrevíamos estas linhas, fizemos uma segunda viagem imaginária para Sinca Veche mas os sentimentos intensos que tínhamos quando & # 8222descobrimos & # 8221 aquele lugar não mudaram totalmente. Isso deve revelar um pouco sobre seu valor, pelo menos como destino de viagem.


O antigo sítio megalítico de Gobekli Tepe

Em setembro de 2013, tive a oportunidade de visitar pessoalmente Göbekli Tepe. Juntei forças com os autores Andrew Collins e Graham Hancock em uma expedição à Megalitomania pela Turquia para investigar essa descoberta enigmática. Graham estava tão surpreso quanto eu. Para uma estrutura tão antiga, a qualidade do trabalho em pedra e a habilidade artística abstrata parecem avançadas demais para sua época.

Pilares em forma de T e um relevo de raposa em Göbekli Tepe. (Autor fornecido)

O arqueólogo americano Peter Benedict descobriu que algo estava acontecendo lá em 1963, notando pederneiras pré-históricas por toda a área. Ele também descobriu alguns fragmentos quebrados de blocos em forma de T lindamente trabalhados com entalhes em relevo. No entanto, devido à qualidade superior da cantaria, foram classificados como artefatos bizantinos. Curiosamente, esta pedra, agora em exibição no Museu de Urfa, se parece visivelmente com uma que eu já tinha visto em Sillustani, no Peru. Em 1994, um arqueólogo alemão chamado Klaus Schmidt reconheceu Göbekli Tepe como parte da cultura “neolítica pré-cerâmica” porque esse estilo de escultura era semelhante a um local em que ele havia trabalhado antes: Nevalı Çori.

O que impressiona as pessoas quando visitam este local é a complexidade da construção em pedra, o tamanho dos pilares megalíticos e a magnitude da colina feita pelo homem com a qual foi cuidadosamente coberta. A construção original foi construída sobre uma rocha sólida, em seguida, montes foram construídos em cima deles, e outras estruturas foram construídas no topo durante um período de cerca de dois mil anos, com os anexos finais contendo pedras menores e menos sofisticação do que os níveis anteriores.

Os pilares maiores e mais antigos nos níveis inferiores mostram esculturas em baixo-relevo de vários animais, répteis, pássaros e serpentes. Alguns pilares parecem representar estátuas estranhas e abstratas de humanos, usando cintos da era espacial, com braços longos e dobrados e letras de tipo & # 8216H & # 8217 (em cada pilar do gabinete D). O mais impressionante é uma estranha criatura em alto relevo tridimensional mostrando um belo trabalho artesanal e originalidade (para aquele período). Existem vários tipos de esculturas em relevo em Göbekli Tepe. O alto relevo 3D, os relevos rasos de animais, & # 8216H & # 8217s, e os braços e cintos humanóides, além de um estilo mais áspero que ocorre nos níveis posteriores, embora incrivelmente, ainda data de cerca de 8.000 anos.

Também achei a modelagem dos pilares interessante. Por que escolher um design tão específico? É uma construção abstrata que assenta suavemente na rocha, em poços muito rasos. Alguns dos pilares têm 5,48 metros de altura (5,48 metros), com a parte superior do “T” esculpida para parecer que é um bloco separado do pilar principal, embora seja na verdade uma peça.

Existem aros finamente esculpidos e formas que me lembraram de Tiwanaku na Bolívia, bem como alguns outros locais ao redor do Peru. Outro aspecto interessante do local são as marcas de taça incomuns que são encontradas, principalmente na rocha, mas também no topo de alguns dos pilares mais antigos, que podem em algum momento lançar alguma luz sobre o fenômeno das marcas de taça na Grã-Bretanha, muitos milhares de anos depois.

Marcas de taça e base de pilar em Göbekli Tepe. (Autor fornecido)


Mistérios de Făgăraş Mt.

O Templo dos Destinos de Şinca é um dos mistérios do Monte Făgăraş. É considerado um lugar de cura. As Pirâmides de Şona são outro mistério e até hoje ninguém sabe de onde surgiram as oito elevações.

O Templo do Destino fica no sopé do Monte Făgăraş, perto da vila de Şinca Veche no Condado de Braşov. Diz a lenda que, assim que você entra na caverna subterrânea, a fadiga desaparece milagrosamente e seu corpo é inundado de energia. Daí o mito segundo o qual quem vem ao templo é curado de doenças. Milhares de pessoas vêm visitar o mosteiro da caverna anualmente. Os visitantes relatam se sentindo revigorados ou tomados por um sono profundo ao entrar no templo. Corre o boato de que quem dorme apenas alguns minutos no templo ou perto dele adquire novas forças e fica mais forte. O local é decorado com ícones, flores da montanha e lâmpadas que ficam acesas o tempo todo. A torre interna pela qual a luz entra tem 10 m de altura e se assemelha a uma torre sem telhado. Os locais dizem que as energias descem por aquele local e que embaixo, no solo, há um túnel que se comunica com a Cidadela de Raşnov. Os anciãos da aldeia dizem que até a grama ao redor do templo é milagrosa. As vacas que pastam perto dão mais e melhor leite que as outras. Se um local fica doente, ele corre para o templo, acende uma vela e bebe água de uma fonte próxima. Então a dor desaparece milagrosamente. Um mito urbano menciona que você deve deixar seu celular, ou qualquer dispositivo eletrônico, fora, antes de entrar no templo se você realmente deseja se beneficiar dessas energias.

História do Templo dos Destinos

O mosteiro da caverna é um antigo local de culto situado em uma curva formada pelo Monte Făgăraş e Perşani. Os locais de culto foram esculpidos em pedra há 7.000 anos e presume-se que inicialmente foram construídos pela mesma civilização que ergueu o Templo Branco na Ilha das Cobras. As igrejas eram usadas como locais de refúgio pelos monges de Ardeal (região norte da Romênia) que haviam sido perseguidos para se converterem ao catolicismo. E durante a época em que o regime comunista decidiu demolir igrejas ortodoxas por todo o país, um mosteiro especial foi fundado neste local. Durante a perseguição comunista, os monges executaram nossos serviços e mantiveram viva a fé da Transilvânia. Reconhecido como um local de descanso, oração e introspecção, o mosteiro da caverna foi nomeado o Templo das Fadas. A igreja subterrânea está localizada a 50 km de Braşov, na estrada para Sibiu, e a 22 km de Făgăraş.

As oito elevações da aldeia, algumas atingindo cerca de 30 m, estão dispostas em duas linhas, por ordem de tamanho, e dizem que foram construídas pelos Dácios. Os montes nas periferias da aldeia permanecem um enigma e apenas as lendas oferecem alguma informação, uma vez que a área não tem recebido tanta atenção da comunidade científica quanto dos caçadores de tesouros. A vila de Şona está localizada a 5 km de Făgăraş e apenas recentemente a administração municipal colocou uma placa apontando o caminho para o local turístico que até mesmo os moradores locais têm pouco conhecimento. Infelizmente, apesar do fato de que a exploração desse mito poderia trazer grandes benefícios para a comunidade, muito pouco está sendo feito pelas autoridades para promovê-lo, exceto aqueles que acabam aqui por acaso e depois convidam seus amigos para experimentarem.

De acordo com uma lenda, os montes foram criados pelos Dácios e escondem tesouros em suas barrigas. As pirâmides reinam supremas sobre a vila e os habitantes locais as chamam de “guruieţi”, em tradução lombada. Os pesquisadores compararam as colinas baixas de Şona com os tumuli onde os chefes celtas e citas foram enterrados, especialmente porque essas tribos também cruzaram o território da Romênia. Além disso, ao redor das pirâmides, os arqueólogos encontraram cerâmicas pertencentes ao final da era do bronze e ao período de Hallstat. Outras teorias que evoluíram ao longo do tempo estão tentando provar que as pirâmides de Şona não foram colocadas aqui por acidente.

Uma hipótese interessante foi lançada por um pesquisador de Basarabia que acredita que as “corcundas” representam artefatos Dacian. Muitos tentaram desvendar seus segredos, inspirados nas histórias espetaculares contadas pelos anciãos locais. Há rumores de que, se alguém colocar água perto de um túmulo, ela adquire propriedades curativas. Curiosos para descobrir o que os tumuli escondem dentro, alguns moradores tentaram cavar os montes, mas as autoridades os pararam a tempo. Nem mesmo os arqueólogos foram capazes de decifrar os mistérios das pirâmides e por isso Şona se torna um lugar ideal para se visitar, especialmente para os amantes de mitos.

Os mais velhos contam que ao longo do tempo todos os tipos de especialistas vieram à sua aldeia, com dispositivos diferentes, para descobrir a verdade sobre os “montes”, mas a pesquisa não revelou nada. Outra lenda que os moradores compartilham com os poucos visitantes que passam, associa os montes a tumbas de gigantes ou a estruturas construídas por gigantes: “Era uma vez uma garotinha descendente de gigantes que construía os montes, muito, muito tempo atrás, antes do Tribos Dacian. Outro conto de mais velhos relata que um gigante certa vez limpou as placas dos pés e a sujeira resultante se juntou para formar esses montes. Deve haver algo nesta história ”, ressalta Ioan Buzeche, morador de Şona,“ já que a terra que compõe o monte é amarela, enquanto a terra na base é preta ”. Ele prossegue afirmando que os gigantes ainda residem nos montes e que provavelmente ficariam chateados se alguém perturbasse seu sono saqueando o lugar.

É possível que as pirâmides sejam parte dos "triângulos mágicos" deixados desde a época dos Dácios, representando algum tipo de linhas invisíveis cruzando os Cárpatos, ligando as cidadelas e santuários de nossos ancestrais. Esta configuração geométrica incluiria a capital Dacian & # 8211 Sarmisegetusa, Piatra Roşie Citadel, santuário Racoş, Templo Şinca Veche, Pico Omu e Pirâmides de Şona.


Estes cães domesticados e selvagens são da mesma espécie

Pode ser possível criar cães selvagens das Terras Altas com a raça domesticada. O NIH relata que “cruzar alguns dos cães selvagens das Terras Altas com os cães cantores da Nova Guiné em centros de conservação ajudará a gerar uma verdadeira população de cães cantores da Nova Guiné”. Isso garantirá a sobrevivência a longo prazo desses caninos raros e notáveis, dando-lhes a diversidade genética necessária para manter uma população saudável.

Os cães vêm de uma raça muito antiga. O Dr. Ostrander disse ao NHGRI que “Ao conhecer mais esses proto-cães antigos, aprenderemos novos fatos sobre as raças de cães modernas e a história da domesticação dos cães”. Também pode nos ajudar a entender o antigo povo da Oceania que domesticou esses caninos.


China aterrissa sedutora Mars Rover para roubar segredos do NASA Rover

16 de maio de 2021 Wake Up Fools

MARS - A mídia estatal chinesa confirmou que pousou com sucesso uma bela fêmea rover chamada Zhurong na superfície de Marte. Isso está fazendo com que alguns levantem questões de segurança de que ela pode entrar em um relacionamento com o rover Perseverence da NASA & # 8217s e roubar segredos americanos. & # 8220A perseverança é como qualquer outro veículo espacial americano de sangue quente & # 8221, disse George Tahu, da NASA. & # 8220Ele é [& hellip]

Postado em Notícias Judaicas Tags: sedutor, china, feminino, terras, rover, segredos, roubar Sem comentários & # 187

Sinca Veche

Chamada de “Gruta do Destino”, “O Templo dos Desejos”, “O Templo Cavado na Pedra”, a Gruta de Sinca Veche é visitada por seu mistério, as histórias que cercam o templo, por fenômenos bizarros que ocorrem de vez em quando, mas a maioria tudo para pessoas orando por milagres.

Sinca Veche está localizado no condado de Brasov, na base do Monte Plesu. A Gruta fica a cerca de 2 km da vila, mas todos sabem disso. O “Templo” é uma caverna escavada na pedra calcária da Colina de Plesu. Algumas pessoas acreditam ter 7.000 anos, mesmo que o local tenha sido mencionado pela primeira vez em documentos apenas no século XII. Alguns dizem que quem cavou a pedra conhecia as propriedades da pedra de cantaria e consideram que criaturas superiores estão na origem deste templo. Diz-se também que este local de culto rupestre pertencia à mesma civilização que criou o “Templo Branco” na Ilha da Cobra, uma ilhota localizada no Mar Negro perto do Delta do Danúbio.

Dentro do templo, agora um local cristão, existem vários salões. O da entrada, visto de um ângulo específico, parece um anfiteatro. A opinião geral é que este local é um local pré-dácio, pelo que explicam o espaço da entrada na gruta como um espaço de rito para os dácios.

Outra intriga é o fato de o local possuir dois altares. O mais polêmico é o segundo altar, o menos visível, onde na parede está desenhada em pedra uma placa parecida com a Estrela de Davi. Dentro da estrela há uma marca Yin e Yang, fazendo com que os pesquisadores acreditem que a inscrição seja do período pré-Daciano.

Existem várias histórias sobre curas incríveis ou sonhos que se tornam realidade depois de orar nesta gruta. Houve pessoas que ouviram um coro cantando do céu. A canção foi cantada em um idioma romeno arcaico, ainda incompreensível. A câmera prega peças enquanto fotografa, luzes ou sombras inexistentes aparecem na câmera depois que uma foto é tirada.

O segundo ponto de atração são peças das relíquias de Santa Nectária no Mosteiro, a santa curadora. O resto das relíquias de St. Nectarie estão em Eghina - Grécia. O padre do mosteiro de Sinca Veche contou sobre várias cartas de agradecimento que recebeu de pessoas que vinham rezar pela saúde. Foi o caso de uma senhora idosa orando pelo neto que faria uma cirurgia no cérebro. Ela foi a Sinca Veche para orar a Santa Nectária. Pouco depois, durante o teste de RMN antes da cirurgia do menino, os pais descobriram que o tumor havia desaparecido.


5º Kinga Salt Church Polônia

A mineração sempre foi um negócio sujo e perigoso. No século 13, os mineiros precisariam de toda a ajuda que pudessem obter - não é de admirar que muitos deles procurassem ajuda em oração. Na mina de sal de Wieliczka, na Polônia, os mineiros esculpiram os santuários e capelas com o sal. O sal-gema, pelo menos, tem a vantagem de ser macio.

Ninguém sabe exatamente quantos desses locais de culto existiram na mina, pois eles tendiam a ser demolidos quando a mina era aberta. Mas agora existe uma igreja espetacular dedicada a St. Kinga. Diz a lenda que a santa deixou cair seu anel de noivado na Hungria. Quando ela veio com o marido para a Polônia, ela teve uma premonição e ordenou que um poço fosse cavado. Em vez de água, eles encontraram sal. E no meio de um bloco de sal de cristal estava o anel que caiu. O local em que isso supostamente ocorreu foi Wieliczka, onde agora está localizada sua capela subterrânea.


Naqsh-e Rustam: antigas tumbas de poderosos reis persas

Naqsh-e Rustam é um dos locais antigos mais espetaculares e inspiradores do Império Aquemênida, consistindo nos túmulos colossais de reis persas que datam do primeiro milênio aC. É uma memória duradoura de um império outrora poderoso que governou uma parte significativa do mundo antigo.

Naqsh-e Rustam (significando Trono de Rustam ) está localizado a aproximadamente 5 km (3 milhas) a noroeste de Persépolis, a capital do antigo Império Aquemênida (persa) na atualidade no Irã. Gravados na fachada de uma cordilheira considerada sagrada nos períodos elamitas estão os túmulos esculpidos na rocha dos governantes aquemênidas e suas famílias que datam dos séculos 4 e 5 aC, bem como relevos ricamente decorados esculpidos pelos sassânidas nos anos 3 século DC. Além de ser uma necrópole real, Naqsh-e Rustam se tornou um importante centro cerimonial para os sassânidas até o século 7 DC.

O local Naqsh-e Rustam já estava em uso antes da chegada dos aquemênidas, como evidenciado em um relevo pré-aquemênida (possivelmente elamita) e várias sepulturas antigas. Embora este relevo tenha sido esculpido por um relevo sassânida, um retrato de um homem com um chapéu apontando para a frente e uma longa vestimenta semelhante a um vestido (roupas não típicas dos aquemênidas e sassânidas) ainda pode ser discernido na extrema direita do último alívio. Segundo algumas fontes, foi essa figura que os moradores associaram ao herói mítico da Shahnameh escritos no "livro dos reis", denominado Rustam, daí o nome do site.

Naqsh-e Rustam deve o seu nome à figura lendária Rustam, que é retratado aqui matando Esfandyar. Medieval Persian miniature. ( en.wikipedia.org)

Most of the reliefs, however, date to beginning of the Sasanian period. In the 3 rd century AD, the Sasanians, a vassal of the Parthian Empire that succeeded in overthrowing its master, were a new power that rose in the East. In order to legitimize their rule, the Sasanians sought to associate themselves with the Achaemenid (Persian) Empire, and regarded themselves as its direct successors. One of the things they did to achieve this goal was to carve reliefs at Naqsh-e Rustam.

While the site itself does not yet have UNESCO World Heritage status, the Sasanian relief carvings are protected as part of the “ Sassanid Archaeological Landscape of Fars Region ”, recognized by UNESCO for embodying the political, historical, cultural and artistic developments of the mighty Sasanian Empire. The newly UNESCO-registered ensemble, as of July 2018, is comprised of eight archaeological sites situated in three geographical parts of Firuzabad, Bishapur and Sarvestan.

Sasanian relief at Naqsh-e Rustam depicting the triumph of Shapur I over the Roman Emperor Valerian, and Philip the Arab. ( Wikimedia Commons )

Two other local names for Naqsh-e Rustam are Salib, an Arabic word meaning ‘cross’, and the Persian Crosses. This is due to the façade of the tombs, which resembles crosses. It was the tombs, which belonged to the Achaemenids that attracted the Sasanians to Naqsh-e Rustam. These tombs are burial chambers carved into the side of the hill rock, and each contained a sarcophagus. It is unclear, however, whether the bodies were placed directly into these sarcophagi, or the bones interred in them after being exposed on a ‘tower of silence’. Furthermore, it is believed that all the tombs were looted and desecrated following the invasion of Alexander the Great during the 4 th century BC.

Although there are four tombs, only one of them can be identified with certainty, as it is accompanied by a trilingual inscription. This is the tomb of Darius I, the third ruler of the Achaemenid Empire. Above the cross façade of Darius’ tomb is a panel with a relief. The relief depicts Darius, whose hands are raised in a gesture of worship, standing on a three-stepped pedestal in front of an altar. The king’s piety accords him divine protection, as the winged disc of Ahuramazda (the god of the Zoroastrian faith), is shown floating above his head. The relief also proclaims the might of the Achaemenid Empire, as the entire scene is supported by throne bearers representing the 28 nations under the empire.

The other three tombs at Naqsh-e Rustam are thought to belong to Darius’ successors, Xerxes I, Artaxerxes I and Darius II. This is based on the fact that the layout of these tombs is copied from the tomb of Darius. Without any inscriptions or additional evidence, the identities of the tomb owners may remain merely as speculation. Other royal tombs of a similar form can be found in Persepolis. These tombs, cut into the rock face at Kuh-i Rahmat, are thought to belong to the later Achaemenid rulers, and demonstrate of the influence exerted by the tombs at Naqsh-e Rustam.

The Kuh-e Rahmat Mountain where the rock-cut Achaemenian monument of Qadamgah stands today. Photo by Pontocello, 2009. ( Wikimedia Commons )

After the fall of the Achaemenid Empire, no new tombs were made at Naqsh-e Rustam. As mentioned earlier, the Sasanians attempted to make a connection with the Achaemenids by carving reliefs on the rock walls of Naqsh-e Rustam. The subjects of the reliefs are varied, and were carved over between the 3 rd and early 4 th centuries AD by different Sasanian rulers. One of the most famous reliefs is that of Shapur I’s victory over the Roman emperors Gordian III, Valerian and Philip the Arab. Other reliefs include the investiture of Ardashir I (the first relief to be carved at the site), and the equestrian relief of Hormizd II (the last relief to be carved).

Plans are underway to include the whole site of Naqsh-e Rostam on the UNESCO World Heritage list by incorporating it into the adjacent Persepolis, which already has World Heritage status. As part of this process, several restoration projects are underway. Detailed laser scanning of the site is underway to support exact restoration.

Asian Historical Architecture, 2015. Naqsh-e Rustam Tombs, Persepolis, Iran. [Conectados]
Available at: http://www.orientalarchitecture.com/iran/persepolis/naqsh-e_rustam.php

Gill, N. S., 2015. The Tomb of Darius the Great at Naqsh-i Rustam. [Conectados]
Disponivel aqui.

The Oriental Institute of The University of Chicago, 2014. Persepolis and Ancient Iran: The Royal Tombs and Other Monuments. [Conectados]
Disponivel aqui.


Get to know the hidden Romania: 40 places you should not miss

Romania is a great country to discover- and we're not just saying that because some of us here are Romanians. Some places in the country are already well-known, mainly because they are better promoted, but many other places remain unknown. We've dig up 40 such places for those who want to discover the not-so-well-known places in Romania. Here they are below. If you're found something else interesting that is not on our list, drop us a line.

By Irina Popescu

Check out the map below to see the counties of Romania where these places can be found.


1. Living Fires in Lopatari, Buzau County

The Living Fires (Focurile Vii in Romanian) can be found in the Romanian village of Lopatari, Buzau County, in Slanicului Valley, 56 km away from Buzau city. Living Fires can be as high as 20 cm and represent a natural phenomenon unique in Europe. They are blue flames burning in places where the soil is cracked and kept alive because of the gas that comes to surface.

2. Muddy Volcanoes, Buzau County

You might have recently heard about this one, but it is not as well known as it would deserve. The Muddy Volcanoes are located in Buzau County, in Paclele area, in the village of Berca. The Muddy Volcanoes are miniature craters which are formed because of the natural gas that comes from a depth of more than 3000 m. It lies on about 30 hectares and is a unique phenomenon in Romania, also rare in the world.

3. Ochiul Beiului Lake, Caras- Severin County

Ochiul Beiului Lake, with water that has a green-blue color, is in the village of Sasca Montana, in Caras-Severin County. From Bucharest, the lake can be reached easily by following the route Bucharest - Pitesti - Slatina - Craiova - Filiasi - Drobeta Turnu Severin - Orsova - Moldova Noua - Sasca Montana, with a length of 509 km. What's interesting about this place is that the lake’s water doesn't freeze even at extremely low temperatures during winter, because of the spring that feeds permanently the lake with water.

4. Ruins of Roman Porolissum, Salaj County

One of the best preserved archaeological sites in Romania is called Porolissum, an old Roman city. Besides its impressive size, the site also had has a good conservation during the centuries. Castrul Roman Porolissum can be found in Salaj County, in Mirsid.

5. Vidra Lake, Valcea County

The Vidra Lake is a men-made lake, dating from 1972. The lake is 30 km away from Voineasa resort in Valcea County, between Lotrului, Latoritei rivers and Capatanii Mountains. This place can offer some really great moments to those who love nature, through its silence, fresh air and great green forests that are surrounding the lake.

6. The Church under the lake, Cluj County

Although hidden from human eyes most of the time, the Church under the lake from Belis, in Cluj county, comes out during the hot, low-rainfall summers. Belis is a village in Transylvania, at an altitude of 1,000 m, in Gilau Mountains. Only in the days of hot summer the old ruins of the church, dating from the nineteenth century, come out of the water. Equally impressive are the paintings that decorate the ruins, embodying angels and biblical scenes.

7. The Bears' Cave – Ursilor cave, Bihor County

Known as one of the most spectacular sights of the Romanian Apuseni Mountains, the Bears' Cave is located near Chiscau, in Bihor County, at an altitude of 482 meters. The cave's name comes from the many cave bear fossils discovered there, as this place was a favorable place of shelter for animals around 15,000 years ago. There are around 547 km between Bucharest and the Bears' Cave, a distance that can be covered by car in about 7 hours.

8. The Merry Cemetery, Maramures County

The Romanian village of Sapanta, in Maramures County, became famous for its Merry Cemetery that has become a very important tourist attraction. The cemetery's name comes from the colorful crosses and the satirical poetry that is written on them. After the cross is carved, it is usually painted in blue, the so-called "Blue Sapanta". The distance between Bucharest and Sapanta is about 600 km.

9. Comana Natural Park, Ilfov County

Comana Natural Park, 35 km away from Bucharest, is unique in Europe, and includes dozens of species of plants and animals protected by the international laws, being considered the second Delta of Romania, after the Danube Delta. The natural park covers 25,000 hectares, being the largest protected area in the Romanian Plain (Campia Romana).

10. The steam train in Viseul de Sus, Vaserului defile (Mocanita), Maramures County

Vaserului Gorge, with the appearance of a canyon, is located in the eastern part of the Maramures Mountains. Tourists can travel through the entire gorge using one of the few steam trains in Romania, "Mocanita de la Viseul de Sus", that departs daily from Viseul de Sus village, reaching Novat, Faina and even Macarlau. The distance between Viseul de Sus and Bucharest is 523 km.

11. Red Lake (Lacul Rosu), Harghita County

The Red Lake is a natural lake that was created when half of a mountain fell. It is situated in Hasmasu Mare Mountains, near the town of Gheorgheni, Harghita County, 323 km away from Bucharest. This is the largest natural mountain lake in Romania. Its name came from the Red River, that crossing red layers, with iron oxides and hydroxides. The lake appears dark and threatening. The trees that were swallowed by the water, which now appear on the surface give the impression of strange and mysterious.

12. Neamtului Fortress, Neamt County

You might have heard of the Neamtului Fortress once or twice before, as it has been recently renovated and might have had more promotion lately. It is a medieval citadel situated in Moldova, near the town of Targu Neamt, at about 46 km from the city of Piatra Neamt, and 398 km from Bucharest. Located near the highest point of the Plesului Peak, the city is part of the medieval monuments with an exceptional value in Romania. Read more about it here (in Romanian).

13. Fagaras Fortress, Brasov County

Fagaras Fortress is the most imposing monument in the region, in Fagaras city, Brasov County, at about 235 km from Bucharest. It is one of the largest and best preserved in the whole country, and even in Europe. Fagaras Fortress appeared for the first time in official documents in 1455, but its construction has started since the late fourteenth century. T

14. The living stones, Costesti, Valcea County (Pietrele Vii)

Near the road linking Targu Jiu with Ramnicu Valcea, in the Costesti village, nature has created some of the most amazing stone carvings called "the living stones". With bizarre shapes, millimeter, or man-sized, the stones continue to emerge as people exploit the sand. These works of nature are some stones with supernatural origins, as locals say. The “living stones” are also called “the stones that grow”. This strange stones can be found at about 130 km from Bucharest.

15. Cave Churches in Buzau - Chilia lui Dionisie Torcătorul, Buzaului Mountains, Buzau County

Nucu village in Buzau County is an old place, full of mystery. Who dares to walk on the mountain roads has the opportunity to meet the most important cave complex in Buzau Mountains. Caves, cells and churches carved in stone during the first centuries of Christianity, were used as places of refuge and worship. One of the cells belonged to the monk Dionisie, who, the legend says, made the road to his cell as complicated as possible, because he liked to be alone.

16. Hunedoara Fortress, Hunedoara County

Hunedoara Fortress, also called Corvinilor Castle, is the most important monument of Gothic architecture in Transilvania, Romania. The monument in Hunedoara is representative for the military architecture in South-East Europe, from the fifteenth century. Other elements that make Hunedoara Fortress unique are further intervention made in the fifteenth century, which offers a mixture of unique architectural elements belonging to the Renaissance, Baroque and Gothic styles. The distance between Bucharest and Hunedoara is of about 390 km.

17. Cetatuita Negru Voda Monastery, Arges County

Cetatuia Negru Voda Monastery is located at 880 meters altitude, between Chiliilor Valley, Coman Valley and the water of Dambovita, 25 km south of Campulung city. The monastery is located in a natural cave, where a small, beautiful fountain can be found. To go there from Bucharest, you have to drive for 153 km.

18. Turda Salt Mine, Cluj County

The Salt Mine in Turda, that can be found in the city of Turda, Cluj County, is a veritable history museum of salt mining. The excellent state of preservation of mining and machinery used to transport salt, together with the cautious work carried out for preparing the mine, turned the Turda Salt Mine into a tourist attraction. To get to Turda, you have to go 410 km from Bucharest.

19. Tihuta Clough

Tihuta Clough, located 473 km away from Bucharest, has a high degree of difficulty in terms of crossing it, as it is crossed by one of the toughest roads located in the mountains in Europe. Access to the Tihuta Clough is made through the E576 (DN17), the road linking the cities of Suceava and Bistrita. The landscape in the area looks like untouched by man, which makes it an ideal place for relaxation. Too see live images from the Tihuta Clough, go aqui.

20. The Seven Stairs Canyon & the Tamina Cascade, Brasov County

The Seven Stairs Canyon's route is accessible to all nature lovers and represents a good alternative for a day out. The canyon is in the central-west side of Piatra Mare Mountains, at an average altitude of 980 meters. The first so-called 'step' of the cascade, from the bottom up, has a height of 8 meters, followed by another 6 such steps, most of them being over 35 meters high. The Seven Stairs Canyon is at about 165 km from the capital city.

21. The Racos basalt columns and the extinct volcano, Brasov County

Racos is a village far away from the main road linking Brasov to Sighisoara, the village where you can see a volcano that didn’t erupt in hundreds of years. Once you arrive in this place, you have the feeling that you are on Mars, because of the red landscape. The geological site from Racos includes spectacular post eruption scenery of 10-15 meters high, formed by the rapid cooling of lava. There are around 250 km from Bucharest until Racos village.

22. Cacica salt mine, Suceava County

Cacica Salt Mine is located in the village of Cacica, in Suceava County, 450 km from Bucharest, and is unique through its 8,200 hand-dug galleries, without machines. The galleries are in a very good condition today. At 192 steps down to 27 meters deep is the St. Varvara Roman Catholic Chapel, while at 35 meters deep, there is an Othodox Chapel. There is also a Salt Lake, an artificial lake dug manually by miners.

23. Fairies' Fortress, Covasna County

The Fairies' Fortress is an ancient Dacian fortress situated on a mountain peak near the city of Covasna. Walls found by archaeologists during excavations are currently visible. The road to the fortress takes about 2 hours on some unmarked forest roads. Research conducted there revealed numerous fragments of pottery and coins dating from the Dacian and Roman age. The distance from Bucharest to the city of Covasna is 227 km.

24. The Sinca Veche Rupestral Monastery in Brasov County

The Sinca Veche Monastery, actually an underground temple, is situated next to Plesu Hills, in the Romanian Sinca Veche village in Brasov County, 220 km from Bucharest. It is said that the monastery was built thousands of years ago, in the Dacian times or even before. The monastery is cut entirely in stone and has 2 altars and 9 rooms filled with curious statues, like the Yin-Yang symbol or the David’s star. The tower is made out of soft sandstone and has no roof, which allows the sun to shine on the altar.

25. Piramids from Sona in Fagaras, Brasov County

The Pyramids from Sona are actually eight mounds of earth, 30 meters high, that seem to come out of nowhere. While locals are convinced that they were raised by giants, historians believe that there are graves of Celtic barbarians. The legend says that many years ago, this land was ruled by a princess named Sona. One day her kingdom was attacked by some giants who came over the Fagaras mountains. The giants have gone through the water of Olt river, and when they arrived in this place they shook the mud from their feet and created these mounds. You can find them in Sona village, Brasov County, 250 km away from Bucharest.

26. Gura Portitei in the Danube Delta, Tulcea County

To get to Gura Portitei, you have to drive almost 300 km on the road from Bucharest to Jurilovca, further having to take a passenger ship or a motorboat to cross the Golovita waters. Gura Portitei is a perfect place for those who enjoy peace, fresh air, crystal clear water, and open space. There is also a wide range of recreation facilities, from daily trips on the Danube channels to renting rowboats, motorboats, hydro bikes, ski jets, tennis and volley grounds.

27. Polovragi Cave in Gorj County

Polovragi Cave is 11 km long, and has 800 m with electric light since 1984. The water that drops continually from cave’s ceiling forms stalactites and stalagmites, but also clay so you have to watch your steps. Hazard and time created bizarre limestone formations which received poetic names: Lotus, The Throne of Zalmoxis, The Monk. Between Bucharest and the Polovragi Cave there is a distance of 243 km.

28. Bicaz Canyon, Neamt & Harghita Counties

The Bicaz Canyon, (Cheile Bicazului in Romanian), is one of the most spectacular places in Romania, located in the north-east part of the country, in Neamt and Harghita counties, 372 km from Bucharest. The canyon was dug by the waters of Bicaz River and it serves as a passageway between the Romanian provinces of Moldova and Transylvania. The road along the 8 kilometers of ravines, often in serpentines with rock on one side and a sheer drop on the other, is one of the most spectacular drives in the country.

29. Scarisoara Cave – the glacier, Alba County

Situated in the Apuseni Mountains, almost 40 km away from the town of Campeni, in the North-Western part of Alba County, in the village of Garda de Sus, Scarisoara Cave is one of the largest ice caves in Romania. Declared a natural monument and a speleological reservation, the cave is famous for its glacier that is older than 3,000 years. To get there from Bucharest, you have to drive around 480 km.

30. Petresti Fortress, Alba County

The Petresti Fortress, built by Saxons is a historical fortress, where the Saxons throughout Romania return to celebrate their past in Alba Iulia. It is located out of Petresti village, next to the Sebes river, at around 350 km from Bucharest. From the old fortress, the wall and the ruins of the bell tower are still standing.

31. Grohot Natural Bridge, Hunedoara County

The Grohot Bridge can be appreciated by its greatness as one of the most spectacular karst phenomena in the Apuseni Mountains. This is very interesting in its morphological features, through the beautiful landscape, and the great vegetation. The distance between Bucharest and this place is about 490 km.

32. God’s Bridge, Baia de Arama in Mehedinti County

Ponoarele is a village located in Mehedinţi County, Oltenia, Romania, at about 335 km from Bucharest. Here one can find a natural monument named God's Bridge, a natural bridge formed when the ceiling of a cave had collapsed. The bridge is actually a 4 m thick rock arch, with an opening of 25 m and a length of 50 meters. The legend says that the Devil lived in Ponoarele Cave. The locals asked God to chase him, and God hit with His palm the cave ceiling, which collapsed and blocked the cave's entrance. But the Devil escaped by the other mouth of the cave and climbed the Devil's Rock, a place from where he guards the people who enter in the cave and sometimes he drowns them in the Zatonul Mare lake.

33. Jiu, Mures, Cris and Olt Valleys – for rafting

If you like rafting, you have to try that on the most spectacular rafting area in Romania, Jiului Valley, between the city of Livezeni and Bumbesti Jiu. The route is about 25-30 km, and optional, by request, you can make rafting at night, and a picnic in nature. To get there from Bucharest you have to do around 350 km. Rafting can also be done on Mures, Cris and Olt valleys.

34. Stone Ravens Monastery, Arges County

The Corbii De Piatra (The Stone Ravens) monastery is a Romanian monastery located in the Jgheaburi village, in Arges county, in the heart of a mysterious and very ancient ascetic Romanian settlement. The monastery's church is carved into the rock, and appears in documents with this name from its reestablishment in 1512. Find more about it here: http://www.corbiidepiatra.ro/

35. Transalpina road, Gorj, Valcea, Sibiu & Alba Counties

Also called the "King's Road", Transalpina is the road that connects Oltenia region and Transylvania. It is the highest altitude road in Romania that can be crossed from one end to another by car. It’s not yet sure why this road was build but the local legend says it was built by the German people during World War I, just for military purposes. Transalpina can be covered in about 3-4 hours on the trail Sebes, Sugag, Obarsia Lotrului, Ranca, Novaci.

36. Ciucas Waterfall in Cluj County

Located about 55 km from Cluj Napoca, Ciucas Waterfall is one of the most important tourist attractions of Cluj County. Ciucas Waterfall has a height of only 5 meters, and behind it lies a small lake where the water accumulates. The distance between this place and Bucharest is about 500 km.

37. Capra Lake, Fagaras Mountains, Brasov County

Well hidden in the heart of Fagaras Mountains, Capra Lake, a glacial lake, is situated at an altitude of 2,241 meters. The lake impresses with its blue water and makes a great place for those who love nature and mountains, through its landscape. To get there from Bucharest, you have to drive around 250 km, a trip that will take about 3 hours.

38. Fortified Church in Viscri , Brasov County

The Fortified Church in Viscri is one of the representative buildings in Brasov. Built in a Gothic style, it is located 7 km from Dacia village, Brasov County, and about 240 km away from the capital city. Beside the church, which is a real fortress, a unique collection exhibited at the ethnographic museum can be seen here. It presents the objects truly representative for people's everyday life, traditions and customs in the area.

39. The Siriu Dam, Buzau County

The Siriu Dam opens in front of visitors as a boundless expanse of water. Siriu Lake is a man-made lake, located on the upper part of Buzaului river. Siriu Dam is a great destination for fishermen, who can find trout here. The Siriu village is located in the North-East part of the Buzau County, at about 164 km from Bucharest.

40. Bats' Cave, Brasov County

Also known as the Cave with Bats, the Great Cave, the Bats' Cave is the home for rare species of bats. The cave also has a great historical significance for people, giving the name of the village, Pestera village (in Romanian 'Cave village'). Situated at an altitude of 950 meters, on the Bran platform in Pestera village, the cave is reported in various documents since centuries ago. To get there from Bucharest, you have to drive for around 180 km.


Assista o vídeo: Descobertas no Egito que assustam os cientistas! (Dezembro 2021).